Ingresso de cinema no Brasil é um dos mais caros do mundo, aponta pesquisa da Escola de Economia de São Paulo

  • Home
  • Notícias
  • Ingresso de cinema no Brasil é um dos mais caros do mundo, aponta pesquisa da Escola de Economia de São Paulo

O ingresso de cinema no Brasil é o quarto mais caro do mundo. Esta é uma das conclusões do estudo coordenado pelo professor da EESP Samy Dana, que apurou os preços das entradas de cinema em 15 cidades do país.

Na pesquisa, os valores das sessões de estreia do filme “O Hobbit” nos dias de sexta e sábado foram convertidos em dólares. Depois, foi calculado o no número de horas que, em média, um cidadão teria que trabalhar para pagar o ingresso. “Vale lembrar que a simples comparação de preço em dólares não é razoável, uma vez que o custo de vida e a renda da população variam muito”, explica Samy.

O preço médio do ingresso no Brasil foi comparado com o de outros 18 países, nos cinco continentes. O bilhete mais em conta é encontrado em Singapura; já o mais caro é o da Nigéria. “Não por coincidência, a Nigéria possui uma política de meia-entrada bastante semelhante à do Brasil”, comenta o professor, lembrando que outros países preferem oferecer descontos em torno de 30% para idades específicas, como crianças, jovens e idosos.

“O empresário do cinema precisa pagar funcionários e custo como luz, água e outros de forma integral, independentemente da quantidade de meias-entradas que vendeu. Para formar o preço, no entanto, o cinema leva em conta o percentual de vendas com carteirinhas e o público médio; afinal, a receita precisa cobrir os custos e oferecer uma margem de lucro razoável, como qualquer outro negócio”, esclarece Samy Dana. Em Minas Gerais, por exemplo, 75% dos consumidores usam a carteirinha de estudante, o que tornaria necessário um aumento de 60% no valor do ingresso regular.

O estudo revela ainda que os preços dos ingressos nos países dos BRICS estão entre os mais salgados do planeta. Entre os oito ingressos mais caros estão os da Rússia, África do Sul, Índia e China – os dois últimos à frente do Brasil.

fonte: FGV Notícias

Voltar

Área do aluno

Para ter acesso a área do aluno, digite seu nome de usuário e senha.

Veja nossa estrutura

Twitter @ISAN_FGV

Carregando...